O outro lado do conflito

Tel Aviv_Ori

Cidade de Tel Aviv. Foto: Ori Ronen/Arquivo Pessoal

Em meio aos conflitos em Gaza, protestos e mortes há uma esperança de cessar-fogo. As notícias do Oriente Médio com frequência, infelizmente, estão associadas à violência. O conflito em Gaza foi retomado nos últimos meses e o Media4Freedom entrevistou um israelense que vive em Emek Hefer, no norte de Tel Aviv, sobre como é a vida em um país envolvido em conflitos internacionais.

A esperança de paz habita o mesmo espaço que a tensão, o mesmo território. Apesar de morar longe da zona de conflito, o músico e estudante Ori Ronen admite viver em tensão constante, mas em diferentes níveis. Ele explica que existem “ordens muito específicas sobre o que fazer se você ouvir a sirene. Em geral, você precisa correr para um espaço protegido”. Algumas casas têm o que eles chamam de “salas protegidas”: “Poderia ser qualquer cômodo da casa, apenas as paredes são diferentes”, com reforço na estrutura.

OriPara ele, Israel é um lugar especial “desde o primeiro dia da humanidade até os dias de hoje”. Ronen afirma que sente-se seguro e questiona sobre o que é ter uma “vida normal”. Ele argumenta que cada país tem os seus problemas e cita alguns como exemplo: “Coreia do Norte com seu regime ditatorial e ameaça nuclear, a violência no Brasil, a fome e as guerras na África, a guerra civil na Síria”. Ronen visitou o Brasil durante o carnaval e foi recomendado pelas pessoas para ter cuidado ao andar nas ruas, especialmente no Rio de Janeiro, mas ele conta que sentiu-se bem, seguro e também não sofreu qualquer tipo de violência.

O conflito é histórico e envolve vários fatores: religiosos, políticos e territoriais. No entanto, existem grupos envolvidos que misturam todos esses fatores. Para o israelense, são grupos terroristas que querem aniquilar Israel, o Hamas é um grupo formado pelo “o mesmo tipo de pessoas que fizeram 11 de setembro, o ataque a bomba em Londres em 2005 e os atentados nos trens de Madri em 2004. Eles são muito radicais, sem regras e sem humanidade”. Ronen é judeu e lamenta que as pessoas desses países não lembrem do passado porque estão automaticamente contra Israel por razões anti-semitas.

Ronen acredita que Israel tem o direito de se defender e não concorda com as pessoas que dizem que Israel mata pessoas inocentes de propósito. A mídia internacional mostra um lado que é Gaza, “ninguém mostra quando o foguete atinge a população israelense. Eu sei que a situação em Gaza é mais difícil do que em Israel. Eu não estou dizendo que estou feliz quando as crianças e mulheres são mortas em Gaza. Mas as pessoas não querem acreditar que o Hamas está disparando de casas civis e escolas e que não deixam as famílias correrem para salvar suas vidas, eles não se preocupam com o povo. Eles (Hamas) usam os moradores como escudo humano”.

O fim do conflito na Faixa de Gaza ainda parece distante. Os acordos de cessar-fogo têm durado algumas horas. O israelense acredita que os conflitos um dia podem acabar, ele deseja a paz, mas lamenta que talvez isso não vá acontencer agora. Ronen espera que os palestinos possam viver da maneira que eles querem. No entanto, para ele, isto requer que não exista mais terrorismo.

A Faixa de Gaza não é o único lugar no mundo onde existem conflitos. A esperança de todos é o mesmo desejo de Ronen: a paz.

 English Version

The other side of the conflict

Along the conflicts in Gaza, protests and death have a hope for ceasefire. The news from the Middle East often, unfortunately, are associated with violence. The conflict in Gaza back in recent months the Media4Freedom interviewed an Israeli who lives in Emek Hefer, northern of Tel Aviv, regarding how his opinion about living in a country involved in international conflict.

The hope of peace inhabit the same space than a tension, the same territory. Despite of living far from the conflict zone, a folk musician and student Ori Ronen admits living with constant tension, but in different levels.  He explain there are “very specific orders of what to do if you hear the siren. In general you need to run to a protected space”. Some houses have what they call “protected rooms”: “It could be any room in the house, just the walls are different” with reinforced.

For him, Israel it’s a special place “from day one of mankind until this day”. Ronen said he fell safe and questioned about what is currently having a “normal life”. He argues that almost every country has their problems, for instance: “North Korea dictatorship regime and nuclear threats, violence in Brazil, hunger and wars in Africa, civil war in Syria”.  Ronen visited Brazil during the carnival time and people told him to be carefull on the streets, especially in Rio de Janeiro, but he felt good and didn’t experience any kind of violence.

The conflict is historical and involves several factors, religious, political and territorial. However, there are groups involved mixing these factors. For him, the terrorists groups who want to annihilate Israel, Hamas “are the same kind of people who did September 11th, London bomb attack in 2005 and Madrid train bombing’s in 2004. They are very radical with no rules and no humanity”. Ronen is Jewish and laments that people in these countries don’t remember that they are automatically passed against Israel for anti-semitism reasons.

Ronen says that Israel has the right to defend itself and disagree with people who say that Israel kills innocent people in purpose. The international media shows one side that is Gaza, “no one shows that rockets hits Israeli population. I know the situation in Gaza is more difficult than in Israel. I’m not saying that I’m happy when kids and women get killed in Gaza. But people don’t want to believe that Hamas is shooting from civilians houses and schools. And they don’t let those families run for save their lives, they don’t care about them. They (Hamas) use them as a human shield”.

The end of the conflict in Gaza still seems distant. The ceasefire has lasted a few hours, unfortunately. The Israeli believes that conflicts can end one day, he wants peace, but regrets that it’s not going to be now. Ronen expects the Palestinians can live the way they want. However, for him, this requires that there are no more terrorism.

The Gaza Strip is not the only place in the world where there are conflicts. Hope everyone is the same desire to Ronen: the peace.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s